terça-feira, 20 de novembro de 2012

Centro de Comando: 1x20 - Aquele sobre ser Um pouco maluca // Um pouco normal

Oi, meu nome é Bruna Jones e eu tenho 25 anos. Atriz, Humorista, Cinéfila, Escritora, Apresentadora, Repórter, Cantora, Modelo, Professora, Turismologa e Boba! (Também sei lavar, passar e cozinhar).

Não bebo, não fumo, não uso drogas e não minto para ser bem recebida. Nunca tive um caso de uma noite, nunca beijei um aleatório, não gosto de balada, tenho nojo de abada não freqüento bares e nem igrejas. Fui criada e educada com amor, música e imaginação, acredito que eventualmente tenha me tornado “um bom homem em meio à tempestade”. As vezes esqueço de respirar e então canto para mim mesma a música “Breathe (2Am)”, já quase morri afogada, escrevo diários desde que aprendi a escrever. Já fui traída, já amei, já fui amada, já tive o coração partido, já parti corações, já escrevi cartas de amor, já escreveram uma música para mim. Costumava acreditar em Deus, e em casamento, alma gêmea e no céu e no inferno. Hoje acredito no amor, e em segundas chances. Trato meus ex-namorados por números, tenho orgulho fora de série do meu ex-número 5 e já tive namoro a distancia que foi mais presente que o garoto da rua de trás. Odeio primeiros encontros, já fugi no meio de um encontro, já tive encontro que terminou dentro de um dentista, já fui pedida em casamento. Tenho uma idéia doida por dia que só faz sentido para mim e não importa o que digam, eu faço assim mesmo. Subo em mesas quando toca uma música que gosto, já assisti um musical na Broadway, já fui estagiaria em Buenos Aires, já vi a neve da Irlanda e já estive no Central Park. Vou sozinha ao cinema, gosto de viajar sozinha, gosto de ir ao aeroporto/rodoviária e comprar uma passagem pro primeiro destino a ser lançado, sou filha única. Sou leal. Acredito que quem está com todos na verdade não está com ninguém, tenho 10 pessoas insubstituíveis, já perdi pessoas insubstituíveis, um dos meus melhores amigos é virtual e não sei fazer amizade com garotas. Assisto pelo menos um filme por dia, acompanho 10 séries diferentes por temporada, assisto reality show de confinamento, já fiz teste para um reality show e nunca vou superar a morte de Lexie Grey. Sou mal resolvida por dentro, gosto de consertar pessoas, gosto de fazer as pessoas sorrirem, gosto de quando um homem sorri envergonhado para mim. Gosto de ter meu trabalho reconhecido, gosto do meu trabalho, odeio feriado, faço uma dancinha de 30 segundos quando tenho meu trabalho reconhecido, danço por uma hora quando estou chateada. Assisto filmes de terror para me animar, assisto filmes de drama quando estou animada, sou coerente. Debato até a morte, ninguém consegue parar um sermão meu depois que eu pego o embalo, já enfrentei o melhor amigo de um ex-namorado, nunca mudo de opinião e tenho palpite sobre tudo e todos. Já tive medo de altura, já venci uma partida de paintball noturno, tenho treinamento de resistência, força e agilidade, já aprendi a usar uma arma, já pensei em ser detetive criminal, tenho memória fotográfica, não sei dirigir. Já dei palestras, já mudei a vida de alunos, não ajudo quem não quer ser ajudado, não sou amiga de estagiários, tenho fãs, tenho pessoas que me odeiam. Não gosto de mudanças, não gosto de surpresas, crio teorias, tenho conversas imaginarias e já disse coisas das quais me arrependi. Já fiz pessoas chorarem usando apenas palavras, já usei o que foi dito contra a própria pessoa, só me interesso por pessoas de raciocínio rápido, inteligentes e humorados, tenho preguiça das pessoas. Não tenho medo de nada e nem ninguém, a não ser baratas. Acho barata albina pior que barata voadora, quando encontro uma em casa depois passo a noite imaginando a quanto tempo ela estava ali, se ela estava sozinha e se por ventura era fêmea e botou ovos em lugares estratégicos. Não assisto jornais, acredito que acreditar em magia faz com que eu consiga levantar da cama todos os dias, acredito que o amor é o mais próximo da magia que nos podemos chegar e acredito em mim mesma acima de tudo e todos, choro fácil, não acredito em reabilitação. Você é culpado até que se prove o contrario, me decepciono com pessoas na mesma facilidade em que me apego. Não gosto de música brasileira, acho copa do mundo a coisa mais hipócrita já criada pelo universo, não sou hipócrita. Tenho bordões, acho que algumas frases em inglês causam mais efeito que em português, Seriously? Seriously! Não entendo nada de matemática, não sigo a nova regra de ortografia, gostaria de saber desenhar, gostaria de ter feito medicina. Odeio me assistir, me ver, me escutar, me ler. Já dormi em hospital, já tirei a coluna do lugar, já tive problemas no rim, já recebi telefonema na madrugada de hospital dizendo que meu pai foi baleado. Tenho um vizinho que escuta a música tema do Titanic no ultimo volume todo final de semana, já entrei em banheiro masculino pra saber por que meu estagiário estava chateado, só aceito trabalho dos meus alunos feito a mão. Costumava pairar pelas portas, gostei de Spice Girls, Britney Spears, Backstreet Boys e outros no silencio do meu quarto em minha adolescência, fui a aluna nova no colégio, tenho amigos que fiz no colégio até hoje, maioria dos meus colegas de colégio hoje em dia são pais de dois filhos e sem um carreira fixa. Acho sub-celebridades verdadeiras, odeio com todas as minhas forças uma única pessoa nesse mundo, adoro água com gás e refrigerante de abacaxi. Sei comer comida chinesa e não gosto de verduras, ou qualquer coisa que faça parte da dieta de um coelho. Vou em SPA. Por mais que eu tente não consigo engordar, corro para esquecer os meus problemas, odeio academia, tenho pena de mulheres simples que só tem como objetivo de vida encontrar o vestido perfeito para o casamento perfeito. Sempre reclamo com um sorriso no rosto e acredito que se você leu todas as exatas 1.000 palavras que acabei de escrever, de alguma forma eu já despertei e mantive o seu interesse pela minha pessoa. Agora a decisão é sua em querer tentar fazer parte do meu convívio diário ou não. A vida é feita de decisões, mas a mais importante é viver ou morrer, e essa decisão às vezes nem sempre está em nossas mãos.

Se meu mundo faz sentido para mim, então nada mais me importa.

“Cuidado com seus pensamentos, pois eles se tornam palavras.
Cuidado com suas palavras, pois elas se tornam ações.
Cuidado com suas ações, pois elas se tornam hábitos.
Cuidado com seus hábitos, pois eles se tornam o seu caráter.
E Cuidado com seu caráter, pois ele se torna o seu destino.”
(Alfred Roberts)

(Música do titulo: Um Pouco Maluca, Patricia Coelho)

3 comentários:

  1. Senti uma súbita inveja quando você disse "tenho memória fotográfica"! :c E, recentemente, tornei assistir um filme (ao menos) por dia uma meta de vida! Me interessei muito por você, você me parece o tipo de pessoa que eu amaria conhecer.

    ResponderExcluir