quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Dança dos Famosos 13: Conheça Leona Cavalli


Leona Cavalli (nome artístico de Alleyona Canedo da Silva, Rosário do Sul, 6 de novembro de 1969) é uma atriz brasileira. Filha de pai político, advogado e poeta e de mãe professora, tem três irmãos. Ao nascer, recebeu o nome de Alleyona. Sua mãe queria que fosse Leona, mas o pai achou o nome muito forte para um bebê e resolveu adaptá-lo. Cavalli vem dos seus padrinhos. Sua infância foi junto à natureza, brincando pelos campos gaúchos, onde corria a cavalo, subia em árvores, nadava e a praticava muitos outros esportes. Com o pai, que foi prefeito da cidade duas vezes, aprendeu desde cedo a conviver com muita gente, subindo em palanques, frequentando comícios. Com a mãe, aprendeu a gostar da beleza e amar a liberdade.

Aos dez anos já viajava, tinha namorados e já queria ser atriz. Foi uma adolescente rebelde. Aos quatorze anos, viajou para o Rio de Janeiro, onde assistiu a primeira grande peça, A Divina Sarah, com Tônia Carrero, e, em seguida, no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, "As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant", com Fernanda Montenegro e Renata Sorrah, e "Brincando em Cima Daquilo", com Marília Pera. Decidiu naquela época que iria começar a carreira de atriz. Seu pai, porém, não permitiu que Leona fosse morar em Porto Alegre. No ano seguinte, viajou para Londres, onde assistiu um espetáculo chamado Motim. Depois da peça, ligou para o pai e disse que ficaria morando em Londres, e que desejava ser atriz. Disse que só voltaria ao Brasil para morar em Porto Alegre e fazer teatro. O pai então permitiu.

Assim que voltou ao Brasil, começou a fazer curso de teatro. Como finalização do curso, participou de Valsa nº 6,de Nelson Rodrigues, sua estréia no teatro adulto, com 16 anos. Depois, entrou na UFRGS, no curso de Artes Cênicas e na PUC, no curso de direito. Mas, largou tudo e foi embora para São Paulo na tentativa de fazer teatro profissionalmente. Chegou a São Paulo em 1990. Entrou para o curso de teatro da PUC, onde fez "O Homem e o Cavalo", de Oswald de Andrade. Logo depois, fez, com o ator Pascoal da Conceição, a Farsa de Inês Pereira e Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente. Em seguida, Leona fez, com o diretor Zé Celso Martinez Corrêa, As Troianas, de Eurípedes, e Hamlet, montagem para a reinauguração do Teatro Oficina. Além de teatro, Leona faz cinema e TV. No cinema, fez Amarelo Manga, Cafundó, Através da Janela, Carandiru e Olga, dentre outros. Na TV, participou das novelas As Filhas da Mãe, Da Cor do Pecado, Começar de Novo, Bang Bang e Belíssima.

Em 2007, participou da minissérie Amazônia e da novela Duas Caras, ambas da TV Globo. Em 2008, após encerrar a novela Duas Caras, Leona participou de um episódio do seriado Casos e Acasos (Globo). Ainda em 2008, a atriz esteve novamente na TV, integrando o elenco da novela Negócio da China. Leona, em 2010, participou da minissérie Dalva e Herivelto interpretando a personagem Margot, e também está no teatro com o monólogo Máscaras de Penas Penadas. Ainda em 2010, participa de um dos episódios de As Cariocas e A Vida Alheia, seriados exibidos pela Rede Globo, além de aparecer no longa metragem Os Inquilinos.

Em 2011, ela fez uma participação especial na novela Araguaia. Esteve na novela A Vida da Gente, no qual interpretou a pediatra Celina. Em 2012, fez uma participação na série As Brasileiras, no episódio "A Justiceira de Olinda" e interpretou sua primeira vilã, Zarolha no remake da novela Gabriela. Em decorrência do sucesso de sua sensual personagem Zarolha, surge convite para posar nua na edição de Outubro de 2012 da revista Playboy. Aos 42 anos de idade a atriz mostrou excelente forma e o ensaio foi um sucesso de público e crítica. Em 2013, esteve na novela Amor à Vida de Walcyr Carrasco, interpretando a médica Glauce, mulher que compromete sua carreira para ajudar Bruno (Malvino Salvador), por quem é apaixonada. Em 2015, é anunciada no elenco da novela Totalmente Demais na pele de Gilda, uma moradora do interior do Rio De Janeiro e mãe da protagonista Eliza, interpretada por Marina Ruy Barbosa.

Leona segundo o site de noticias uol, é fundadora e faz parte da seita Centro de Estudos Xamânicos Porta do Sol, que faz uso do chá Ayahuasca de forma permitida. A atriz resolveu não ter filhos.

Conheça também: Brenno Leone, Felipe Simas, Leona Cavalli, Leticia Lima, Lisandra Souto, Marcelo Elgarten, Nego do Borel, Rainer Cadete, Sidney Magal, Solange Couto, Sophia Abrahão e Valesca Popozuda.

Qualquer novidade eu volto, lembrando que quem quiser entrar em contato comigo, pode add no facebook, procurando por "Bruna Jones" e que agora na página oficial do blog, vocês encontram conteúdo exclusivo: clique aqui! Podem também procurar e seguir no twitter no @odiariodebrunaj certo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário