quinta-feira, 20 de julho de 2017

Bruna Jones: 29x03 - Dia do amigo feat. 30 anos chegando


Bom dia, queridos amigos e leitores. Tudo bom? Já faz algum tempo que vocês não conferem uma matéria mais "pessoal" aqui no blog, não é mesmo? Apertem os cintos, que hoje... Hoje tem! Inicialmente eu planejava escrever tudo isso no começo do mês, quando completamos um ano de conversas diárias, mas, achei que era mais coerente deixar para hoje, no dia da amizade. Cês devem estar se perguntando "Quem completamos? O que completamos?", certo? Pois bem, estou falando do meu hómi!

Tenham em mente que, meu intuito aqui não é expor meu relacionamento, eu quero apenas compartilhar uma pequena história que fala mais sobre amizade e companheirismo, do que de romance exatamente. Além de citar algumas coisas que aconteceram neste começo de ano e que vocês aqui do blog acompanharam e aproveitar para falar dos meus 30 anos que está chegando em duas semanas, mais ou menos. Estamos combinados então? Estamos! Antes de começar, quero todo mundo clicando AQUI pra ir escutando uma musiquinha bem marota enquanto lê as coisas que eu tenho para contar, fechou?


Pois bem... Neste mesmo dia, ano passado... Eu estava toda trabalhada na amizade com o meu hómi, a gente se conheceu e foi "amizade a primeira vista" por minha parte, coisa que é difícil pra mim, quem conhece sabe. Quem lê meus textos, tweets, publicações e afins deve achar que eu sou uma pessoa extremamente aberta para conhecer outras pessoas, que tenho altos amigos pra fazer umas aventuras tipo "Sessão da Tarde" e que eu conheço todo mundo e todo mundo me ama. Estão errados. Eu consigo contar nos dedos a quantidade de amigos de verdade que eu possuo e aliás, eu nem gosto de chamar eles de amigos, já que são minha família, é outro nível. Então, eu conheci meu hómi e pensei: "Huuum... O humor dele (ou a falta de) combina comigo. Vou ser amiga dele!" e claramente as coisas não foram se acertando de primeira, mas a gente se acertou conforme o tempo foi passando!

E ai no final do ano teve todo aquele problema de saúde do meu avô, que acabou emendando com problemas de saúde da minha vó e quando me dei conta, eu estava batendo cartão em hospital mais que os próprios médicos. Eu cheguei num nível no qual eu mesma estava ajudando a socorrer as pessoas, pra vocês terem uma ideia. Estava pronta para receber um jaleco branco e meu próprio pager, atenta pra ouvir um "Page Jones" que eu ia divando.


Enfim, quando meu vô melhorou de verdade entre o final de janeiro e começo de fevereiro, minha vó piorou de verdade e foi 100x mais tenso pra mim, de alguma forma eu já sabia que eu estava próxima de perder ela e inclusive cheguei a comentar isso com o meu hómi, lembro de dizer que logo eu iria fazer parte do clube dos órfãos de avós (ele também já perdeu a vó) e ele foi um querido me animando. Cês lembram que eu fiquei um bom tempo sem postar NADA aqui no blog, né? Naquela época meu dia era dividido em três etapas: Hospital, vir pra casa descansar e conversar com o meu hómi, que justo na mesma época, estávamos começando a evoluir de amizade pra romance. Claro que eu tomava banho, comia e tudo mais...

Porém, minhas prioridades naquela época eram: Cuidar da minha vó no hospital e do meu relacionamento quando chegasse em casa. Não tinha espaço para mais nada no meu dia e muito menos animo. Agora é a parte sobre o meu hómi que eu falei no começo da matéria... Cês não tem noção do apoio emocional que esse homem me deu ao longo dessa jornada. Sério! Qualquer outra pessoa teria se afastado, não teria peito pra encarrar a bagagem que eu estava carregando naquele momento e esse cara ficou do meu lado dia após dia, me fazendo sorrir, me entretendo, compartilhando histórias de vida, tirando todo o peso que eu estava carregando no meu coração, me deixando extremamente leve para encarar tudo novamente na manhã seguinte...


Foi um gesto imenso e genuíno de pura amizade, companheirismo, cumplicidade... Que, manos... Não importa quanto tempo passe, eu JAMAIS vou esquecer de todo esse carinho, amor e compaixão que recebi da parte dele, não é atoa que eu acabei me apaixonando, não é mesmo? E, como vocês sabem, eu acabei de fato perdendo a minha vó e foi foda, continua sendo foda... As únicas pessoas que vão entender do que eu estou falando, são aquelas que já perderam alguém que amava. Não estou falando de perder, do tipo, relacionamento, sabe? Quero dizer, longe de mim julgar os relacionamentos alheios, mas... Quando alguém morre, saber que você nunca mais vai poder receber um conselho, um abraço, um sorriso daquela pessoa... É uma dor que não passa, é algo que vem em ondas, uma hora tá tudo certo e do nada, vem aquele sentimento novamente. É FODA.

Bom, agora vem a parte dos meus 30 anos... Voltando no tempo (É, eu tô tipo "Lost" ou "Once Upon a Time" que vai e volta para contar uma história), desde os meus cinco anos de idade, eu já sabia exatamente o que eu queria fazer, já tinha minha vida planejada, tudo certo para quando eu chegasse nos meus 30 anos. O engraçado sobre isso é que NADA daquilo que eu planejava aconteceu, olha que gostoso?


Quero dizer, o que realmente importa na vida aconteceu: Como eu disse, tenho amigos que são como uma família, que me amam, me apoiam e que eu posso ligar qualquer hora que for e eles vão parar tudo o que estão fazendo e vão vir correndo me socorrer. Mais ainda o Guilherme, que é a Cristina Yang e o Evander que é o Alex Karev da minha Meredith Grey. Tenho ótimos empregos, sim, no plural, que me fornecem uma vida de conforto, sempre tive a disposição e o bom humor pra acordar cedo e ir trabalhar pra conseguir conquistar tudo aquilo que eu queria... Tenho a oportunidade de inspirar jovens adultos todos os dias para que eles tenham essa mesma disposição e alegria. Além de (espero eu) conseguir tirar uns sorrisos de quem vem aqui ler o meu "BBRA" ou as outras matérias. Trazer conteúdo interessante e diversificado...

Tenho meus pais que são as pessoas mais incríveis e inspiradoras do planeta, que sempre se preocuparam em me dar bons exemplos, boas músicas, bons livros e um exemplo imenso de amor, que eu vou procurar passar para os meus próprios filhos, se um dia eu os tiver, é claro, mas que eu já passo para os meus alunos... E tenho um amor incrível! Alguém que eu tenho orgulho fora de série sobre quem ele é, sobre as visões de vida que ele possui, sobre o que ele quer pra vida dele e a maneira como ele é apegado na família, sobre como foi educado, sobre como cuida e se importa comigo. Sério! Cês não tem noção do bem que esse homem me faz e tudo o que eu quero é poder fazer o mesmo por ele.


Chegar aos 30 de uma maneira diferente do que eu imaginava que seria, não é frustrante, sabia? Acredito que tudo aquilo que eu planejava quando era criança, de certa forma me deu foco pra chegar até aqui. Claro que eu fiz coisas diferentes, meus pensamentos mudaram, mas no fundo, eu não me perdi, ainda sou aquela criança boba que queria chegar aos 30 para ser levada a sério. A única coisa que me chateia de verdade é não ter a minha vó por perto, manos... Como ela AMAVA fazer minhas festas de aniversário e ela era a pessoa mais empolgada para essa que está chegando. Sei que fisicamente ela não estará por aqui, mas de onde quer que esteja, ela estará cuidando de mim. Queria que ela tivesse conhecido pessoalmente o meu hómi, para ver o motivo pelo qual eu estava sempre sorrindo para o mundo...

Enfim, são algumas coisas que me aconteceram e que se alguém conseguir tirar alguma coisa dessa minha experiencia para si próprio, eu vou ter ficado bem feliz por ter compartilhado. A grande lição (creio eu) disso tudo, é o amor, como sempre. Olhe para as pessoas que estão em suas vidas. Essas são as pessoas que vocês querem amar? São elas que te fazem felizes e que te cuidam? Se a resposta for sim, invista pesado nessas relações. No fim é a única coisa que importa. Se a resposta for não, simbora dar uma reviravolta nisso tudo? Não perca seu tempo com aquilo que não te faz bem. A vida é muito curta para a gente dar corda para aquilo que faz mal, né não?


Espero que todo mundo tenha um dia maravilhoso, principalmente você... Felipe, meu amor! Logo mais eu estou de volta com o novo episódio do "BBRA", não se preocupem! ;)

Qualquer novidade eu volto, lembrando que quem quiser entrar em contato comigo, pode add no facebook, procurando por "Bruna Jones" e que agora na página oficial do blog, vocês encontram conteúdo exclusivo: clique aqui! Podem também procurar e seguir no twitter no @odiariodebrunaj certo?

11 comentários:

  1. História linda Bruna, eu sei como é perder uma vó, pra mim foi tranquilo no primeiro mês sonhava com ela todo dia era tudo tão real, mas ai vinha a realidade ao acorda, sai de casa e passar pela casa dela sem a vê-la era como um facada no meu peito, nao ouvi a voz dela me chamando pra almoçar, jantar e fazer um lanche nao sentir o abraço e o beijo dela foi duro...mas enfim, Parabéns pelos trintão bem vividos, feliz dia do amigo e muitas felicidades pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É foda, né? Mas estamos ai, qualquer coisa!
      Muito obrigada pelo carinho, feliz dia do amigo! <3

      Excluir
  2. Parábens pela linda história Bruna. Também já perdi minhas duas avós. Só Deus pra confortar. Feliz Dia do Amigo e parabéns pelo Blog que com certeza vc arranca gargalhadas das pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz dia do amigo e obrigada pelo carinho! <3

      Excluir
  3. Ai Bruna, imagina minha estrutura emocional ao ler tudo isso? logo eu que choro até com desenho animado-n

    O texto foi divertido e gostoso de ler, faz mais! =)

    Um abraço virtual e real pra você, acompanho seus textos e 'frases' no facebook, as vezes dou uma olhada no seu twitter, muito legal a pessoa que você, gosto muito do blog e de toda a materia que tem nele, especialmente o nosso BBRA amém, atento pelo novo episodio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre quis fazer mais textos como esse, mas sofro do problema de começar num assunto e terminar em outro que não tem nada com aquilo do começo! HAUAHUAHUA...

      Obrigada! <3

      Excluir
  4. Perdi meu avô faltando oito dias pra completar 16 anos de idade,nunca me esqueço de nada,seu bem como é.

    E muitas felicidades, Bruna! Acompanhar teu blog virou um hábito,nem um hobby é mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa! :(

      Estamos juntos e obrigada pelo carinho! <3

      Excluir
  5. Parabéns Bruna, esse texto e a sua homenagem à sua avó e ao seu "hómi" ficaram muito bonitas! Perdi meu avô a dois anos, e sei como é difícil passar por esses momentos!
    Tô triste que só vi hoje e tô atrasado, maaaaaas, feliz dia do amigo!
    Um grande abraço, continue sendo sempre essa pessoa maravilhosa (não te conheço pessoalmente, mas é o que você sempre me passa aqui pelo blog e pelas redes sociais)!
    Obrigado por todas as postagens de sempre, principalmente nosso BBRA que alegra nossos dias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que é isso, importante é que viu!
      Obrigada você, pelo carinho de sempre! <3

      Excluir
  6. Poxa Bruna, queria ter estado aqui na quinta-feira para poder te desejar um feliz dia do amigo também, mas o que vale é a intensão, né?

    Acho fantástica a forma como você fala sobre as coisas da sua vida sem parecer uma coisa didática. Faz mais textos parecidos com esse. Nunca te pedi nada, rs. E a sua história como o seu "hómi" é um amorzinho. Praticamente o sonho de princesa de 11/10 da população brasileira.

    Obrigada por nos proporcionar as matérias aqui no blog e principalmente o nosso BBRA de cada dia. Não desiste de nós, tá? Feliz aniversário e parabéns pelos 15 anos ♥

    ResponderExcluir